Experiência vs Expectativa

2015, você não tem culpa, talvez ninguém tenha. Começamos muito mal você e eu, cercado de maldade disfarçada (mesmo sujeito ao ponto de vista) passei tão longe para estar perto, que mal percebi o que trazia.

Tudo bem, esse era só o começo. Você bem que tentou remediar, mas lembra que eu nunca te culpei?

Você foi complicado, meio sensacionalista, bastante dramático, até.

Mas não se preocupe, você foi doido como teve que ser, eu entendo, somos parecidos nesse sentido.

Hoje é seu último dia na convenção, eu abri a mala e lá estava, o coração expandido que te fiz há um ano atrás, eu passei tão longe pra estar perto. Eu sei, já disse.

Pela convenção você fica por aqui,
e eu continuo. Vou levar o coração comigo, não bem como recordação, apesar de ser quase inevitável, mas sim como um lembrete de que independente do que for eu seguirei enquanto puder.

Prometo ser melhor do que fomos, por nós dois!

Grande abraço, 2015. Obrigado pelo possível.

Olá 2016, eu ainda não te conheço bem, e apesar dos pesares de 2015, você também cuidará das boas coisas que nele eu passei, e dos grandes amigos que eu encontrei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s